Evangelho

14 de Janeiro - Ano B

Marcos 2,13-17

Aleluia, aleluia, aleluia.
O Espírito do Senhor repousa sobre mim e enviou-me a anunciar aos pobres o Evangelho (Lc 4,18).

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.
2 13 Jesus saiu de novo para perto do mar e toda a multidão foi ter com ele, e ele os ensinava.
14 Quando ia passando, viu Levi, filho de Alfeu, sentado no posto da arrecadação e disse-lhe: "Segue-me." E Levi, levantando-se, seguiu-o.
15 Em seguida, pôs-se à mesa na sua casa e muitos cobradores de impostos e pecadores tomaram lugar com ele e seus discípulos; com efeito, eram numerosos os que o seguiam.
16 Os escribas, do partido dos fariseus, vendo-o comer com as pessoas de má vida e publicamos, diziam aos seus discípulos: "Ele come com os publicamos e com gente de má vida?"
17 Ouvindo-os, Jesus replicou: "Os sãos não precisam de médico, mas os enfermos; não vim chamar os justos, mas os pecadores."
Palavra da salvação.



ComentÁrio do Evangelho
SEGUE-ME!

A vocação de Levi revela a liberdade com que Jesus escolhia seus discípulos. Ele não se deixava levar por preconceitos. Seu modo de agir pautava-se por parâmetros desconhecidos. Eram os parâmetros de Deus.

Quem haveria de pensar que um cobrador de impostos pudesse se converter em discípulo de Jesus? Sua profissão tornava-o desprezível. Tidos como colaboradores dos opressores romanos e exploradores do povo judeu, os cobradores de impostos eram tidos como pecadores. E como tal deveriam ser tratados. O que se poderia esperar deles, uma vez que, descaradamente, assumiam o papel odioso de traidores?

Jesus, porém, não pensou assim, e ordenou a Lei que deixasse sua banca de arrecadação e o seguisse. Para espanto de todos, a ordem foi imediatamente cumprida. E o publicano tornou-se discípulo de Jesus, passando a compartilhar sua vida e missão. As rupturas exigidas pelo discipulado não o intimidaram. Ele teria, pela frente, uma vida de pobreza, de contínuos deslocamentos em função do Reino, de total abnegação no serviço aos mais pobres e sofredores, de cansaços e fadigas. Tudo muito diferente da vida cômoda e abastada que levava.

Embora, num primeiro momento, não fosse capaz de perceber toda a densidade de sua decisão, Levi levantou-se e pôs a seguir Jesus. É a atitude típica de quem se sente chamado a seguir o Mestre.

Oração
Espírito de disponibilidade, não permitas que coisa alguma me detenha, quando a voz do Senhor me chamar para segui-lo.

(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Leitura
1 Samuel 9,1-4.17-19; 10,1
Leitura do primeiro livro de Samuel.
9 1 Havia um homem de Benjamim, chamado Cis, filho de Abiel, filho de Seror, filho de Becorat, filho de Afia, de família benjaminita, que era um homem valente.
2 Tinha um filho chamado Saul, que era jovem e belo. Não havia em Israel outro mais belo do que ele; dos ombros para cima sobressaía a todo o povo.
3 Tendo-se perdido as jumentas de Cis, pai de Saul, disse aquele ao seu filho: “Toma um servo contigo e vai procurar as jumentas”.
4 Saul atravessou a montanha de Efraim e entrou na terra de Salisa, sem nada encontrar; percorreu a terra de Salim, mas em vão. Na terra de Benjamim não as encontrou tampouco.
17 Quando Samuel viu Saul, Deus disse-lhe: “Eis o homem de quem te falei: este reinará sobre o meu povo”.
18 Saul aproximou-se de Samuel à porta da cidade e disse-lhe: “Rogo-te que me digas onde é a casa do vidente”.
19 “Sou eu mesmo o vidente”, respondeu Samuel; “sobe na minha frente ao lugar alto; comereis hoje comigo. Amanhã te deixarei partir, depois de ter revelado a ti tudo o que tens no coração”.
10 1 Samuel tomou um pequeno frasco de óleo e derramou-o na cabeça de Saul; beijou-o e disse: “O Senhor te confere esta unção para que sejas chefe da sua herança”.
Palavra do Senhor.
Salmo 20/21
Ó Senhor, em vossa força o rei se alegra.

Ó Senhor, em vossa força o rei se alegra;
quando exulta de alegria em vosso auxílio!
O que sonhou seu coração, lhe concedestes;
não recusastes os Pedidos de seus lábios.

Com bênção generosa o preparastes;
de ouro puro coroastes sua fronte.
A vida ele pediu e vós lhe destes,
longos dias, vida longa pelos séculos.

É grande a sua glória em vosso auxílio;
de esplendor e majestade o revestistes.
Transformastes o seu nome numa bênção
e o cobristes de alegria em vossa face.