Evangelho

15 de Fevereiro - Ano B

Marcos 8,22-26

Aleluia, aleluia, aleluia.
Que o Pai do Senhor Jesus Cristo vos dê do saber o Espírito; para que conheçais a esperança, reservada para vós como herança! (Ef 1,17s)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.
Naquele tempo, 8 22 Jesus e seus discípulos chegando a Betsaida, trouxeram-lhe um cego e suplicaram-lhe que o tocasse.
23 Jesus tomou o cego pela mão e levou-o para fora da aldeia. Pôs-lhe saliva nos olhos e, impondo-lhe as mãos, perguntou-lhe: "Vês alguma coisa?"
24 O cego levantou os olhos e respondeu: "Vejo os homens como árvores que andam".
25 Em seguida, Jesus lhe impôs as mãos nos olhos e ele começou a ver e ficou curado, de modo que via distintamente de longe.
26 E mandou-o para casa, dizendo-lhe: "Não entres nem mesmo na aldeia".
Palavra da Salvação.



ComentÁrio do Evangelho

COMPREENSÃO GRADATIVA

A cura do cego de Betsaida serve de parábola para o processo de iluminação da inteligência dos discípulos, na tentativa de compreenderem e assimilarem os ensinamentos de Jesus. Evidentemente, isto não aconteceu de repente Antes, esta dinâmica de compreensão e assimilação foi lenta e gradual, exigindo tempo para consolidar-se.
A passagem da cegueira à visão, no caso do cego, deu-se de forma gradativa. Num primeiro momento, Jesus umedeceu-lhe os olhos com saliva e impôs-lhe as mãos. Disto resultou uma visão ainda imperfeita e nebulosa. As pessoas eram vistas de forma indistinta, como se fossem árvores caminhando. Só num segundo momento, após ter Jesus tocado os olhos do cego é que ele passou a ver distintamente, não só de perto, mas também de longe.
Servindo-se de um texto do profeta Jeremias, Jesus já havia censurado os discípulos os quais "tendo olhos, não viam e tendo ouvidos, não ouviam". A incompreensão deles era comparável a uma cegueira. Necessitava de cura! O processo já havia sido iniciado. Eles, porém, ainda permaneciam no primeiro estágio, vendo as coisas de maneira nebulosa. Era preciso dar o passo seguinte: compreender tudo, o mais claramente possível, sem nenhuma hesitação. Acomodar-se no primeiro passo seria uma atitude insensata, por parte de quem já tinha aceitado deixar-se guiar por Jesus.

Oração
Espírito clarividente, liberta-me da cegueira que me impede de compreender e assimilar plenamente a realidade do Reino proclamado por Jesus. 

(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês).

Leitura
Tiago 1,19-27
Leitura da Carta de São Tiago.
1 19 Já o sabeis, meus diletíssimos irmãos: todo homem deve ser pronto para ouvir, porém tardo para falar e tardo para se irar;
20 porque a ira do homem não cumpre a justiça de Deus.
21 Rejeitai, pois, toda impureza e todo vestígio de malícia e recebei com mansidão a palavra em vós semeada, que pode salvar as vossas almas.
22 Sede cumpridores da palavra e não apenas ouvintes; isto equivaleria a vos enganardes a vós mesmos.
23 Aquele que escuta a palavra sem a realizar assemelha-se a alguém que contempla num espelho a fisionomia que a natureza lhe deu:
24 contempla-se e, mal sai dali, esquece-se de como era.
25 Mas aquele que procura meditar com atenção a lei perfeita da liberdade e nela persevera - não como ouvinte que facilmente se esquece, mas como cumpridor fiel do preceito -, este será feliz no seu proceder.
26 Se alguém pensa ser piedoso, mas não refreia a sua língua e engana o seu coração, então é vã a sua religião.
27 A religião pura e sem mácula aos olhos de Deus e nosso Pai é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições, e conservar-se puro da corrupção deste mundo.
Palavra do Senhor.
Salmo 14/15

Senhor, quem morará em vosso monte santo?

É aquele que caminha sem pecado
e pratica a justiça fielmente;
que pensa a verdade no seu íntimo
e não solta em calúnias sua língua.

que em nada prejudica o seu irmão
nem cobre de insultos seu vizinho;
que não dá valor algum ao homem ímpio,
mas honra os que respeitam o Senhor.

Não empresta o seu dinheiro com usura
nem se deixa subornar contra o inocente.
Jamais vacilará quem vive assim!