Evangelho

15 de Setembro - Ano B

João 19,25-27

Aleluia, aleluia, aleluia.
Feliz a virgem Maria, que, sem passar pela morte, do martírio ganha a palma, ao pé da cruz do Senhor!


Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.
Naquele tempo, 19 25 junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena.
26 Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe: “Mulher, eis aí teu filho”.
27 Depois disse ao discípulo: “Eis aí tua mãe”. E dessa hora em diante o discípulo a levou para a sua casa.
Palavra da Salvação.



ComentÁrio do Evangelho

Jesus refere-se a si mesmo como "o Filho do Homem". A expressão "filho de homem" aparece dezenas de vezes no profeta Ezequiel, onde se refere ao profeta, na sua simples e frágil condição de "humano". Aparece também duas vezes no livre de Daniel, sendo uma delas como um "humano" que vem entre as nuvens do céu, agora revestido de poder. Nos evangelhos, Jesus identifica-se como o filho do homem, revestido de fragilidade (cf. segunda leitura), conforme o sentido do profeta Ezequiel, para que não o confundissem com o messias glorioso, esperado pelos judeus. O Filho do Homem significa o humano, o encarnado na vida, na história. Contudo os discípulos originários do judaísmo, na sua incompreensão, vão, com freqüência, interpretar o "filho do homem" com o qual Jesus se identifica, no sentido messiânico de glória e poder, conforme a única vez que aparece em Daniel. O Filho do Homem desceu do céu e será levantado. É o Verbo que se fez carne e vimos a sua glória. Temos aqui a dinâmica característica do evangelho de João. Jesus desceu do céu para elevar o humano. João prima pela revelação da exaltação da condição humana a partir da encarnação do Filho de Deus, Jesus. A elevação do Filho do Homem é a elevação do humano. Conforme o livro de Números, Moisés fez uma serpente de bronze e a levantou, para que todos a vissem. Quem recebesse a mordida mortal de uma serpente contemplava a serpente de bronze e não morria (primeira leitura). Este antigo modelo da Lei de Moisés é substituído pela graça e a verdade de Jesus (Jo 1,17). Quem nele crer tem a vida eterna. Na encarnação Deus deu seu Filho ao mundo, que veio como enviado para anunciar e testemunhar sua Palavra da salvação. A sua divina missão não é a da condenação do mundo, mas a de fecundar a vida e fazê-la germinar e frutificar no mundo. É a missão da misericórdia e do amor. Crer em Jesus, segui-lo e assumir a sua missão é entrar na vida eterna. Jesus ao manifestar o amor de Deus atrai e comunica este amor a todos. Jesus é dom de Deus para comunicar a vida ao mundo. A glorificação de Jesus é fidelidade total à sua missão, sem recuar, mesmo diante da morte. Jesus elevado na cruz é a consumação de uma vida de amor. É a glória de Deus no seu projeto de elevação da humanidade à participação de sua vida eterna.

Leitura
Hebreus 5,7-9
Leitura da carta aos Hebreus.
5 7 Nos dias de sua vida mortal, dirigiu preces e súplicas, entre clamores e lágrimas, àquele que o podia salvar da morte, e foi atendido pela sua piedade.
8 Embora fosse Filho de Deus, aprendeu a obediência por meio dos sofrimentos que teve.
9 E uma vez chegado ao seu termo, tornou-se autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem,
Palavra do Senhor.
Salmo 30/31
Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!

Senhor, eu ponho em vós minha esperança;
que eu não fique envergonhado eternamente!
Porque sois justo, defendei-me e libertai-me,
apressai-vos, ó Senhor, em socorrer-me!

Sede uma rocha protetora para mim,
um abrigo bem seguro que me salve!
Sim, sois vós a minha rocha e fortaleza;
por vossa honra, orientai-me e conduzi-me!

Retirai-me desta rede traiçoeira,
porque sois o meu refúgio protetor!
Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito,
porque vós me salvareis, ó Deus fiel!

A vós, porém, ó meu Senhor, eu me confio
e afirmo que só vós sois o meu Deus!
Eu entrego em vossas mãos o meu destino;
libertai-me do inimigo e do opressor!

Como é grande, ó Senhor, vossa bondade,
que reservastes para aqueles que vos temem!
Para aqueles que em vós se refugiam,
mostrando, assim, o vosso amor perante os homens.