Notícia

02 de Janeiro, 2019

Papa no Angelus: Jesus, fonte de graça, misericórdia e paz

Francisco, no dia 1º de janeiro, recordou que se celebrava o 52º dia sobre o tema: "A boa política está a serviço da paz"

O Papa Francisco conduziu, ontem, primeiro dia de 2019, a Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus, a primeira oração mariana do Angelus de 2019. Ele iniciou sua alocução desejando a todos um bom dia e um Feliz Ano Novo!

Oito dias após o Natal, a Igreja celebra a Santa Mãe de Deus. “Como os pastores de Belém, permaneçamos com o olhar fixo em Maria e no Menino que ela tem nos braços. Dessa forma, mostrando-nos Jesus, o Salvador do mundo, ela, a mãe, nos abençoa. Abençoa o caminho de cada homem e mulher neste ano que inicia, e que será bom na medida em que cada um acolher a bondade de Deus que Jesus veio trazer ao mundo”, disse o Pontífice.

Bênção de Deus 

O Santo Padre afirmou que de fato, é a bênção de Deus que dá substância a todas as felicitações que são trocadas nestes dias. Ele reforçou o assunto dizendo que hoje, a liturgia relata a antiga bênção com a qual os sacerdotes israelitas abençoavam o povo. “Diz assim: Que o Senhor te abençoe e te guarde. Que o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e te seja benigno! Que o Senhor mostre para ti a sua face e te conceda a paz, disse o Papa citando o Livro dos Números. “Esta é uma bênção antiquíssima”, sublinhou.

Segundo Francisco, o sacerdote repetia por três vezes o nome de Deus, “Senhor”, estendendo a mão em direção ao povo reunido. “Na Bíblia, o nome representa a própria realidade que é invocada, e assim, colocar o nome do Senhor sobre uma pessoa, uma família, uma comunidade significa oferecer-lhes a força benéfica que jorra Dele”, destacou.

Para o Pontífice, nesta mesma fórmula, por duas vezes se menciona o “rosto” do Senhor. Ele esclareceu que o sacerdote reza para que Deus o “faça resplandecer” e o “dirige” rumo ao seu povo, concedendo-lhe misericórdia e paz.

Maria nos mostra o Salvador

Durante o Angelus, o Santo Padre ressaltou que todos sabem segundo as Escrituras, que o rosto de Deus é inacessível ao homem, ninguém pode ver Deus e permanecer em vida.  Segundo ele, isso manifesta a transcendência de Deus, a grandeza infinita de sua glória. “Mas, a glória de Deus é Amor, e mesmo permanecendo inacessível, como um Sol que não pode ser olhado, irradia a sua graça sobre toda criatura, de modo especial sobre os homens e mulheres, nos quais mais se reflete”, pontuou.

O Papa informou que quando chegou a plenitude do tempo, Deus se revelou no rosto de um homem, Jesus, que nasceu de uma mulher. “Voltamos ao ícone da festa de hoje, do qual partimos: o ícone da Santa Mãe de Deus que nos mostra o Filho, Jesus Cristo, Salvador do Mundo. Ele é a bênção para cada pessoa e para toda família humana. Ele, Jesus, é fonte de graça, misericórdia e paz” afirmou.

Dia Mundial da Paz

Francisco recordou que São Paulo VI quis que no dia 1º de janeiro fosse celebrado o Dia Mundial da Paz, que hoje celebramos o 52º dia sobre o tema: “A boa política está a serviço da paz”. “Não pensemos que a política seja reservada somente aos governantes: todos somos responsáveis pela vida da cidade, do bem comum, e a política é boa na medida em que cada um faz a sua parte a serviço da paz. Que a Santa Mãe de Deus nos ajude nesse compromisso cotidiano”, desejou.

A seguir, Francisco pediu aos fiéis e peregrinos na Praça São Pedro para que saudassem Maria, repetindo três vezes juntos “Santa Mãe de Deus”.

Após a oração mariana do Angelus, o Papa recordou que no dia de Natal proferiu uma mensagem de fraternidade a Roma e ao mundo, renovando-a, na terça-feira, 01, como desejo de paz e prosperidade. “Rezemos todos os dias pela paz”, disse o Pontífice.

Francisco agradeceu ao presidente da República Italiana, Sergio Mattarella, pelas felicitações de Ano Novo a ele dirigidas: “Que o Senhor abençoe sempre o seu alto e precioso serviço ao povo italiano”, disse.

Iniciativas pela paz

Em sequência, saudou os romanos e peregrinos que foram numerosos à Praça São Pedro. Saudou também os participantes da marcha “Paz em todas as terras”, organizada pela Comunidade de Santo Egídio, e os de outros muitos eventos do dia.

“Manifesto meu apreço e minha proximidade às várias iniciativas de oração e compromisso com a paz que se realizam, neste dia, em várias partes do mundo, promovidas pelas comunidades eclesiais”, disse o Papa, recordando a que foi realizada, na segunda-feira (31/12) à  noite, em Matera, sul da Itália.

Francisco concluiu, pedindo a intercessão da Virgem Maria. “Que o Senhor nos conceda ser artesãos da paz, que começa em casa, na família. Artesãos da paz todos os dias no Ano Novo”, finalizou.

 


Fonte: Amex, com Vatican News